Bem Vindos a Paris, 1889. Estamos em Janeiro de 1889, No começo do seculo 20, onde o cancan e o frufru estao muito em alta. Venha fazer parte desta incrivel historia, que reune glamour, ganancia, luxuria e muitos outros pecados.
Conectar-se

Esqueci minha senha




Pandora
MP - PERFIL
Lexie Lidell
MP - PERFIL
Desirée
MP - PERFIL
Natalie Belefleur
MP - PERFIL
Blair Moriarty
MP - PERFIL
Sophie D' Alembert
MP - PERFIL
Últimos assuntos
» [editando] Bouglione, Liam
Seg Mar 10, 2014 8:41 am por Liam Bouglione

» Chat
Qui Fev 20, 2014 2:31 pm por Désirée Fontaine

» Registro de Avatares.
Sab Fev 08, 2014 5:05 am por Lillity Evans

» Salão Principal
Dom Jun 30, 2013 10:02 am por Natalie Bellefleur

» [FP] Helloise Lafont
Qua Jun 19, 2013 6:17 pm por Helloise Lafont

» Palco Principal
Sab Jun 15, 2013 9:24 pm por Blair Moriarty

» [FP] Morel, Nathan
Qui Jun 13, 2013 8:18 pm por Edward Montgomary

» Heart, Apple
Qui Jun 13, 2013 8:18 pm por Edward Montgomary

» [FP] Rousseau, Pietro
Ter Jun 11, 2013 3:26 pm por Edward Montgomary

Skin criada por Annabeth, cedida sem nada em troca.O widget de Staff foi trabalho de Ramona. graça a seu tutorial de ajuda.
O conteúdo do fórum foi criado por Pandora L. Szelsky. O Plágio é crime previsto no Código Penal Brasileiro e sujeito a prisão ou multa.

Bar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Bar

Mensagem por Convidad em Ter Fev 07, 2012 4:58 pm



Veio apenas para um drink? Aqui é o seu lugar!
Boa sorte para resisitir às tentações.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Bar

Mensagem por James Sawyer Ford em Dom Maio 19, 2013 9:34 pm

O dia não começara exatamente de maneira agradável, já que a primeira coisa que ele conseguiu distinguir após piscar umas três vezes para sua visão entrar em foco, foi o longo e ameaçador cano de um rifle apontado diretamente para sua cabeça, e ao final do mesmo havia um homem que ( James começava a desconfiar) poderia ter algum tipo de ligação com a bela ruiva que ressoava com a cabeça sobre seu peito nu. No momento ele não conseguia se decidir por qual seria a ameaça maior, mas estava apostando com força que era a ruiva...

- Acorda sua rameira, traidora! – Ahhh... agora sim James convenceu-se de que havia algo entre aqueles dois.

A mulher acorda num pulo, agarrando-se no americano que começou a escorar-se contra a cabeceira da cama.

- Mas que ultraje é este? – questiona James, pondo em prática um curso de ação que desenhava-se em sua mente.

- Como ousa invadir meus aposentos desta forma? Por acaso sabe quem sou eu? – esbraveja ele, pegando o homem de surpresa.

- Você está diante de Gustave Eifel, seu rufião, o projetista da atração máxima da Exposição Universal. Eu exijo respeito! – continua ele, não dando tempo para que o bigodudo pudesse raciocinar direito.

- Alí! – aponta ele, na direção da penteadeira do quarto de hotel, onde repousava um exemplar do folhetim diário da cidade que dava destaque para a notícia sobre a Exposição Universal de 1889 e a grandiosa estrutura metálica concebida por Gustave Eifel – Leia, eu exijo! – ordena ele em tom imperioso, agradecendo ao Deus dos Pilantras por não haver imagem do tal Gustave nas páginas do jornal.

- Eu exijo uma reparação por este insulto, senhor! Eu o desafio por minha honra a um duelo de pistolas ao amanhecer defronte ao Champ de Mars onde a terra há de beber o seu sangue diante da obra da minha vida! Leve seu padrinho, ou morrerá pagão! – o tom de sua voz soava tão decidido que por alguns segundos até mesmo James chegou a espantar-se consigo mesmo.

Duelo marcado, o marido traído deixa o quarto com a promessa de comparecer ao compromisso assumido, arrastando a mulher pelo braço. James permite-se desmaiar de pânico por alguns momentos, dando o fora dalí o mais rápido possível assim que retoma a consciência. E lembrando-se de anotar mentalmente de não passar nem perto do Champ de Mars no dia seguinte.

Durante a tarde ele compra alguns mantimentos e contabiliza o dinheiro que conseguiu pela venda das joias habilmente surrupiadas da bela ruiva enquanto ele a despia cuidadosamente na noite anterior. Para sua satisfação ainda lhe sobrara uma boa quantia, e precavido como era, guardou uma parte como reserva de segurança e o restante decidiu em aplicar em um novo golpe em potencial.

Escolhendo com cuidado as roupas certas para a ocasião ele toma um bom banho, perfuma-se e veste-se para ir até o Cabaret Night, onde a presença de belas mulheres e homens de carteiras gordas era uma atração tentadora e muito bem conhecida.

Portando-se como um perfeito cavalheiro, James entra no Cabaret, indo direto para o bar para estudar a movimentação da casa. Aos olhos de quem quer que fosse, ele era apenas mais um dos tantos frequentadores daquele estabelecimento. E ele sorria satisfeito ao constatar este fato, pedindo uma taça de vinho para bebericar enquanto aguarda a aproximação de alguém que desperte seu interesse...
avatar
James Sawyer Ford
Classe Baixa
Classe Baixa

Mensagens : 4
Data de inscrição : 19/05/2013
Idade : 37
Localização : Buscando oportunidades...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Bar

Mensagem por Sophie d'Alembert em Seg Maio 20, 2013 12:35 pm




Lights go down it's dark, the jungle is your head. Can't rule your heart, a feeling so much stronger than a thought. Your eyes are wide and though your soul it can't be bought, your mind can wander. The night is full of holes, as bullets rip the sky of ink with gold. They twinkle as the boys play rock and roll, they know that they can't dance. At least they know they can't dance. It's something.
what the hell

The Cabaret

James| Noite |Bar| Curiosa


Sophie havia sido despachado para Paris faziam alguns dias, segundo seus pais uma temporada com a prima Isabelle poderiam por suas ideias no lugar e talvez fazê-la refletir sobre a vergonha que trouxera aos pais ao agir daquele modo no jantar.
Para ela toda aquela história não passava de uma grande besteira, via-se contente de fugir da proteção um tanto excessiva dos pais, se havia algo que sempre desejara era sua independência, o que certamente não significava casar-se com um magnata qualquer. A prima avisara-lhe que passaria a noite fora de casa sem muitas explicações, contudo ela bem podia imaginar o que seria. Era um sábado entediante para ela, não pretendia ficar em casa olhando as luzes da cidade enquanto a noite parecia agitada a sua volta.
Colocou um vestido preto ainda em suas malas não desfeitas, chegava-lhe um pouco acima das joelhos, podia ouvir as reclamações da mãe caso pudesse lhe ver assim, marcava- lhe a cintura fina e caia em uma saia solta com detalhe em renda. Gostava dele, não era muito chamativo ,parecia combinar com ela e com os scarpins pretos, a meia calça discreta confundindo-se com sua pele.
Sorriu para o modelito escolhido colocando as roupas em cima da cama enquanto tomava um banho demorado, fazendo uma breve lista de locais que lembrava-se vagamente de ter ouvido lhe comentarem, pretendia conhecer alguns e torcia para que não se perdesse na cidade, afinal ainda era nova por ali.
Andava distraída, ouvindo os próprios saltos batendo no chão quando deixou-se distrair por um bonde que passava vagarosamente por ali, alguns passageiros. Nunca havia andando de bonde antes e a ideia parecia-lhe um tanto maluca, quase uma aventura para quem poderia se perder sem saber como voltar para casa. Sorriu com a ideia, aguardando o próximo que passasse, daria um tour pela bela Paris e veria onde iria parar.
Depois de diversos bairros e passageiros chegara a um que parecia-lhe mais humilde e simples, passaram por hotéis e parque até que uma construção grande com letreiros em vermelho lhe chamara a atenção. Era um Cabaret ao que tudo indicava, resolveu descer por ali, parando por alguns segundos em frente ao local.
Algumas vezes ouvira a conversa do pai com os homens que frequentavam lugares como aqueles e onde iniciavam seus filhos, o que ela não conseguia aceitar quando se falava de um casamento por amor. Podia entender as necessidades masculinas, contudo se existia amor e carinho não deveria existir a traição, em suas concepções talvez ainda fantasiosas, aquela pessoa tornava-se o seu mundo e nada mais importava.
Tomou um segundo de coragem, adentrando o local sob o olhar curioso de quem deveria ser o segurança, tocava uma música alta e de batida sensual, podia sentir o cheiro de charutos misturadas a fragrâncias caras. Depois de alguns passos e o olhar curioso chegara a um bar, haviam algumas flores e mesas, o balcão comprido de madeira com bancos altos mostravam uma infinidade de bebidas que ela julgava não conhecer.
Aproxima-se do bar pedindo um copo de martine, tendo uma breve lembrança de umas das primeiras e únicas vezes que experimentara a bebida, não fora ruim. Não estava sozinha ali, percebera um homem de terno , os cabelos claros, bebericava alguma coisa, talvez vinho, observou ela, enquanto lançava- lhe um breve sorriso sem graça, arrependendo-se por alguns instantes de ter se enfiado ali, há alguns dias atrás não poderia nem sonhar em pôr os pés em um local como aquele e ocorria-lhe sobre o que pensariam que uma garota como ela poderia estar fazendo em um local aquele.



words: 597outfit:- notas: bem, vim de enfiada mesmo e pelo template divoso que eu achei -q.


@wickie for sourcecode

_________________

All my life i've been good,but now
Ah, I'm thinking "what the hell" ,all I want is to mess around and I don't really care about

@thx
avatar
Sophie d'Alembert
Classe Alta
Classe Alta

Mensagens : 95
Data de inscrição : 16/01/2013

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Bar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum